Seja muito bem vindo(a) a AMAM  - 
 
 
 
 NOTÍCIAS
28/03/2017
Variados
PROJETO DA CELPA PARA A ILHA DO MARAJÓ VAI BENEFICIAR 450 MIL PESSOAS.
 


A experiência exitosa do Projeto Conexão Marajó, desenvolvido pela Celpa para levar energia elétrica firme aos habitantes do Arquipélago do Marajó, foi o tema do Projeto Conheça Como Funciona, da TV Liberal, na noite de ontem. Reunidos no auditório da emissora, gestores, jornalistas e funcionários da TV, que integra as Organizações Rômulo Maiorana (ORM), conheceram aspectos do projeto iniciado em 2010, com previsão de ser concluído em 2018, com um investimento global de R$ 422 milhões em duas etapas de obras, beneficiando 450 mil cidadãos em 15 municípios.

Pelo projeto, em parceria com o Governo do Estado, foi instalado, entre outras ações e equipamentos, um cabo subaquático para transmissão de energia elétrica e viabilização de uma estrutura de fibra ótica que disponibilize serviços à população. O cabo se estende por 17 quilômetros. O diretor administrativo-financeiro da TV Liberal, Rômulo Maiorana Netto, e o superintendente da TV, Fernando Nascimento, participaram do evento, ao lado de dirigentes da Celpa.

A explanação acerca do Conexão Marajó foi feita pelo assessor da presidência da empresa, Mauro Chaves. O projeto conecta o Marajó ao Sistema Interligado Nacional (SIN), com foco na desativação das usinas termoelétricas, substituindo-as por uma estrutura de fornecimento de energia elétrica firme proveniente da Hidrelétrica de Tucuruí e outras geradoras no Brasil.

O projeto começou com uma primeira fase destinada a atender os municípios de Breves, Portel, Bagre, Curralinho e Melgaço. A interligação nesses municípios já foi concluída. Essa etapa envolveu 685 quilômetros de rede e a ampliação de duas subestações e a construção de mais seis, entre outros empreendimentos.

A Celpa já iniciou a segunda etapa, ligando as cidades de Ponta de Pedras, Cachoeira do Arari e Salvaterra. Na segunda etapa do projeto, também serão interligadas as cidades de Afuá, Chaves, Anajás, Santa Cruz, São Sebastião da Boa Vista, Muaná e Soure.

Nessa segunda etapa, foi instalado o cabo subaquático partindo de Vila do Conde, em Barcarena, até Ponta de Pedras. O cabo foi instalado com a intenção de servir ao sistema de fornecimento de energia elétrica, mas servirá para outros projetos de desenvolvimento na área de tecnologia da informação relacionada a sistemas de comunicação no Marajó. “Essa instalação do cabo de fibra ótica foi uma contribuição da Celpa visando o desenvolvimento daquela região e também a inserção no Programa de Investimento Social que a Celpa executa junto ao Governo do Estado, que é um compromisso desde a sua privatização”, observou.

A segunda etapa do projeto deverá estar concluída até 2019. O projeto reduziu as interrupções no fornecimento de energia elétrica e diminuiu a duração de eventuais suspensões do sistema. Esse novo cenário propicia o surgimento de novos investimentos no arquipélago, como ressaltou Mauro Chaves. A segunda etapa abrange 52 quilômetros de linhas de transmissão e 794 quilômetros de linhas de distribuição, além de cabos subaquáticos com 34 quilômetros de extensão (de ida e volta), construção de oito subestações e ampliação de mais oito. Participaram da explanação sobre o projeto os dirigentes da Celpa: Patrícia Bernardi, Carlos Albuquerque e João de Deus.

Fonte: O Liberal.

Comunicação/AMAM.
 
  
 
« Voltar
 
 
Oeiras do Pará
 
Desenvolvido por:
Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó
End: Travessa 3 de maio, 2389
Cremação - Telefone: (91) 3213-8000